Pramil pode ser prejudicial

Mário

21 de Abril de 2009 ás 09:05

Gostaria de saber de tomando o estimulante sexual pramil (importado) pode vir a prejudicar nas minhas funçoes sexuais e se causa alguma dependencia tanto fisiologica como psicologica. Agradeço  

Bom Dia Mário,

Agradecemos o envio do seu mail.

O medicamento que nos refere é de venda ilegal, ou seja de comercialização proibida, e como tal não é conhecida a sua composição verdadeira, pois aquilo que é comentado é que este medicamento tem uma base de sildenafil, tal como o Viagra, muito embora este não seja controlado por nenhum organismo de saúde.

Diz-se que este medicamento está a ser fabricado por um laboratório no Paraguai, mas não existem provas da sua credibilidade, nem muito menos estudos da sua aplicação. Medicamentos como este existem em todo o mundo com variação de nome e marca, no entanto o risco é muito grande pois não sabe o que este lhe pode fazer a curto ou longo prazo.

É muito perigosa a combinação de sildenafil com utentes medicados com problemáticas cardiovasculares, promovendo efeitos adversos ao seu utilizador, aumentando o risco cardíaco combinado com a actividade sexual.

Bem sabemos que este produto está a ser comercializado a um preço muito inferior á marca concorrente, mas não pode comparar um produto que não conhece a origem entre um produto que tem vários estudos que comprovam a segurança da sua utilização.

Se o sildenafil é prescrito através de receita médica, pressupõe-se que o utilizador seja seguido do ponto de vista da sua saúde física por um especialista de urologia, porque a sua utilização tem de ser controlada e acompanhada.

No que respeita a dependências, via depender do grau de disfunção sexual que tem, porque se necessitar de utilizar o sildenafil por motivos orgânicos é natural que passe a utilizar o medicamento sempre que pretender ter uma relação sexual, logo torna-se dependente de cariz físico. Quanto à dependência psicológica, esta pode surgir numa sequência da utilização deste medicamento, e fazer uso deste durante bastante tempo, quando por vezes não é necessário, mas o utilizador encara a sua utilização como necessária para o seu desempenho sexual, e nesse caso torna-se dependente de um fármaco que já não precisa para ter uma actividade sexual.

Recomendamos que marque uma consulta de urologia, para que seja observado, e ter a certeza de que não está a correr nenhum risco de saúde.

QUARTA-FEIRA, 22 DE ABRIL DE 2009