Volume do ejaculado

De Anónimo a 6 de Maio de 2008 às 17:12
  
Exmª. Srª. Drª. VERA RIBEIRO, Sou um homem de 54 anos, tomo todos os dias 1 pastilha Zyloric 100 mm para controlar o ácido úrico, sendo este o único medicamento que uso. Em 1995, 2000 e 2001 efectuei Ecografia Escrotal cujo resultado foi:

-Testículos c/configuração normal, notando-se diminuição de volume entre o testículo direito e o do lado oposto;
-Epidídimos sem alterações morfo-estruturais;
-Quantidade de líquido nas bolsas é normal e
-Em ortostatismo nota-se uma muito discreta ectasia do plexo venoso à esquerda (vulgo varicocelo).
   
Tenho boas relações sexuais, com boa erecção, mas noto que o esperma que ejaculo é em pouca quantidade, o que algumas vezes me aborrece. Será normal para a minha idade? Ou terei de fazer alguma consulta da especialidade? Cumprimentos

Bom Dia,
 
Interpretando por alto os resultados que menciona, é notório que existe uma diferença de tamanho do testículo esquerdo para o direito, e que se encontra uma discreta ectasia (Dilatação ou distensão) do plexo venoso do lado esquerdo. Com esta pouca e breve descrição, penso que a sua queixa / problemática se concentra na presença de um varicocelo, porque o lado mais atingido neste tipo de problemática é o lado esquerdo, por uma razão meramente anatómica, em alguns casos o volume testicular é diminuido, alterando também o esperma.
  
Na maior parte das vezes o varicocelo ocorre no testículo esquerdo, devido à diferença de anatomia entre as veias que drenam os dois testículos. No lado esquerdo, a veia espermática é mais comprida e entra na veia renal esquerda, que tem elevadas pressões no seu interior, fazendo com que o sangue tenha um percurso sinuoso antes de entrar na aurícula esquerda. No lado direito, a veia espermática é mais curta, entrando directamente na veia cava inferior, que tem baixas pressões no seu interior. É por este fato que ao varicocelo raramente ocorre no lado direito.
 
O volume do ejaculado, é apenas um dos pontos analisados na infertilidade masculina. Aumentar o volume do sémen sem aumentar o número de espermatozóides é pouco útil com relação à fertilidade. A hormona masculina envolvida chama-se testosterona. Esta é responsável pela formação do órgão sexual masculino durante a vida fetal. Na adolescência, a testosterona promove o aparecimento dos caracteres sexuais secundários no rapaz, como barba, pelos no corpo, voz grave e aumento do pénis. No homem adulto, é responsável pela libido (desejo sexual), actua na erecção e na composição corporal (músculos e ossos). Além disso, também actua no volume do ejaculado. Em alguns casos, alguns homens apresentam diminuição da quantidade de sémen por alteração nos níveis séricos de testosterona. O volume do ejaculado também tendência a diminuir com a idade do homem.

O Varicocelo, caracteriza-se pela dilatação das veias espermáticas e pode ser a causa de oligoastenosternia (mortalidade e diminuição do número de espermatozóides). Isto pode reduzir o volume ejaculado. A cirurgia do varicocelo, pode melhorar a qualidade do esperma ejaculado. Mais importante que o volume ejaculado (acima de 2ml) é a concentração dos espermatozóides (deve ser de 20 milhões por mililitro), além de outros factores, como viscosidade, liquefação, morfologia. 

O último exame que fez, pelo que referiu acima no texto, foi em 2001, e como deve saber estas situações devem ser acompanhadas e vigiadas, porque possuem risco de patologia renal.

Deverá fazer também um espermograma, o qual constitui o método fundamental de diagnóstico, baixos volumes ejaculados (menores que 1.0 ml) podem apontar para quadros de azoospermia obstrutiva, a presença de frutose em quantidades normais no sémen indica desobstrução do trajecto a partir da vesícula seminal (a sua ausência faz pensar em azoospermia secretória ou obstrutiva proximal, localizada do testículo até o ducto deferente, as amostras seminais necessariamente precisam ser centrifugadas). A pesquisa de espermatozóides na urina após ejaculação deve ser solicitada em pacientes diabéticos ou com doença neurológica.

Penso que se deveria dirigir o quanto antes a um urologista ou andrologista, para que este possa avalia-lo novamente, de uma forma completa e procurar o melhor meio de tratamento para o seu caso em particular, seja medicamentoso ou cirúrgico.

SEXTA-FEIRA, 14 DE NOVEMBRO DE 2008